Estudos Sobre Deus

ESTUDOS BÍBLICOS

DEUS É SOBERANO

Sermão 1

Deus é Soberano

Data: 19/08/2001

Texto: 1 Crônicas 29:11,12

“Tua é, SENHOR, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, SENHOR, o reino, e tu te exaltaste por cabeça sobre todos. E riquezas e glória vêm de diante de ti, e tu dominas sobre tudo, e na tua mão há força e poder; e na tua mão está o engrandecer e o dar força a tudo.”

INTRODUÇÃO

1. Duas Verdades Bíblicas

1.1. Deus é Soberano

1.2. O homem é responsável!

2. Perigo: salientar uma doutrina e desprezar a outra.

2.1. Fatalismo: Ressaltar demasiadamente a Soberania.

2.2. Humanismo: Ressaltar demasiadamente a Responsabilidade.

2.3. Exemplo: O mais lindo rosto ficaria desfigurado se apenas um membro começasse a crescer, e os demais não se desenvolvessem.

3. Duas facetas da verdade

3.1. Jesus era “servo” (Fp.2:6), e “Cristo o Senhor” (Lc.2:11).

3.2. Levar as cargas dos outros (Gl.6:2), e a própria carga (Gl.6:6).

3.3. Não se inquietar (Mt.6:34), mas ter cuidado com os seus (1Tm.5:8).

3.4. Promessa de não perecer (Jo.10:28,29), mas confirmar a eleição (2Pe.1:10).

3.5. Fazer prova de Deus (Ml.3:10) e não prová-lo (1Co.10:9).

3.6. Deus é Luz [santidade/justiça] (1Jo.1:5) mas também é amor (1Jo.4:8).

3.7. A bondade de Deus e a sua severidade (Rm.11:22).

3.8. Está escrito que Jesus tomou nossas enfermidades (Is.53:4), mas também está escrito que os crentes tinham enfermidades (Fp.1:25-27). O sábado é dia do Senhor, mas também que não há dia específico para adoração a Deus (Jo.4:23; Gl.4:10,11; Cl.2:16). Em Cristo não há mais homem nem mulher (Gl.3:28), mas também está escrito que o homossexualismo é pecado (Rm.1:24-27). A teologia bíblica é importante, mas deve harmonizar-se com toda a Escritura (teologia sistemática).

4. Por que esta doutrina?

4.1. É um dever: “…porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus”. (At.20:27).

4.2. É uma necessidade: pregar o que as ovelhas necessitam, e não o que elas gostam de ouvir.

4.3. Enfermidades graves precisam de remédios fortes: “…mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e fará proezas”. (Dn.11:32).

I. DEUS REINA NOS CÉUS

1. Todos concordam que Deus reina nos céus.

2. Ele reina: “…o bem-aventurado, e único poderoso SENHOR, Rei dos reis e Senhor dos senhores; Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém”. (1Tm.6:15,16).

II. DEUS REINA NA TERRA

1. Muitos discordam que Deus reina na terra.

2. Tudo é regido pelas leis da natureza.

3. O homem determina sua própria sorte com seu “livre-arbítrio”.

4. Mas negam sua responsabilidade, atribuindo ao Diabo o mal que procede em seu próprio coração (Mc.7:21-23).

5. Parece que é o Diabo quem reina: “Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas”. (Lc.21:26).

6. Muitos incrédulos declaram que o cristianismo é um fracasso!

7. Consideram que Deus está decepcionado pelo que acontece no mundo. Dizem que Ele nada pode fazer.

8. Jesus tem todo o poder: “É-me dado todo o poder no céu e na terra…” (Mt.28:18)

III. DEVEMOS CRER PELA FÉ

1. O que acontece na terra demonstra que Deus está no controle (Is.46:9-11).

2. Deus é justo e seus juízos caem sobre os rebeldes (Is.24:3-6).

3. Deus é fiel e cumpre suas ameaças (Is.45:8-18).

4. Deus é onipotente, ninguém pode resistí-lo (Jó 9:12; Jó 42:1; Is.45:22-24).

5. A fé vê o invisível (Hb.11:27).

6. Se olharmos para a evidência dos nossos próprios olhos, acreditaremos que o Diabo reina na terra. Mas tudo coopera para o bem do crente (Rm.8:28).

7. Devemos admitir que há muita coisa na providência divina que nos assusta e abala. Por exemplo, a ordem para matar crianças (Js.6:21; 1Sm.15:3), o caso de Uzá que se preocupou com a queda da arca (1Cr.13:10), a morte prematura dos justos, como o rei Josias (2Rs.23:29; Jó 21:30; Jó 22:16; Is.57:1). Mas não devemos dizer com o descrente: “Se eu fosse Deus, não permitiria tal coisa”. Muito melhor, ante os mistérios que nos deixam perplexos é dizer: “Emudeci; não abro a minha boca, porquanto tu o fizeste”. (Sl.39:9).

8. Por que as coisas são assim? Para testar e provar nossa fé, e promover nossa submissão à vontade de Deus: “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!” (Rm.11:33).

IV. A SOBERANIA DE DEUS DEFINIDA NA BÍBLIA

1. Deus é Supremo, Deus é Deus! Ele é o Altíssimo: “…todos os moradores da terra são por Ele reputados em nada; e, segundo a sua vontade, Ele opera com o exército do céu e os moradores da terra; não há quem lhe possa deter a mão, nem lhe dizer: Que fazes?” (Dn.4:35).

2. Deus é Onipotente, possuidor de todo o poder nos céus e na terra (Mt.28:18): É dizer que “…no céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada.” (Sl.115:3).

3. Deus governa as nações: “Porque o reino é do SENHOR, e ele domina entre as nações”. (Sl.22:28).

4. Deus é o Único Soberano: “…único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores…” (1Tm.6:15).

5. Deus é Soberano nas ações humanas: porque “…até a ira humana há de louvar-te; e do resíduo das iras te cinges.” (Sl.76:10).

6. Deus controla tudo: “Tua é, SENHOR, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, SENHOR, o reino, e tu te exaltaste por cabeça sobre todos. E riquezas e glória vêm de diante de ti, e tu dominas sobre tudo, e na tua mão há força e poder; e na tua mão está o engrandecer e o dar força a tudo”. (1ª Crônicas 29:11,12).

7. Deus é o Soberano Senhor: do grego “déspota” (#1203, Strongs), que significa “Senhor Absoluto, ou Aquele que tem poder e domínio absoluto”. “…Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?” (Ap.6:10). Soberano Senhor na ARA (2Pe.2:1).

8. Deus é Soberano universal e absolutamente: (1Cr.29:10-12; 2Cr.20:6; Sl.22:28; Sl.47:2,3,7-9; Sl.50:10-12; Sl.72:8-11; Sl.93; Sl.95:3-5; Sl.103:19; Sl.145:11-13). Ninguém pode impedir o que Deus resolve fazer (Jó 23:13; Jó 42:2; Sl.115:3; Pv.21:30).

9. Deus é Soberano como o Oleiro sobre o Vaso: O direito de Deus é o direito do oleiro sobre o barro: moldá-lo a qualquer forma que deseje, produzindo, do mesmo pedaço de barro, um vaso para honra e outro para desonra. Afirmamos que Deus não está sujeito a nenhuma regra ou lei fora da sua própria vontade e natureza e que Deus é sua própria lei, não tendo qualquer obrigação de prestar contas dos seus propósitos a quem quer que seja. (Mt.20:15; Mt.25:15).

V. A SOBERANIA DE DEUS E O MAL

1. Deus é o responsável pela existência do mal.

2. Ele não é o autor do pecado.

3. Deus cria o mal (Is.45:7), mas Ele não é o fazedor do mal.

4. O mal sempre existiu, na mente eterna e onisciente de Deus.

5. No zoroatrianismo (Zend-Avesta), o bom deus Ormuz criou as coisas boas, o mau Arimã criou todas as coisas más.

6. Quando Deus diz, “Eu crio o mal”, Ele assume toda a responsabilidade pelo mal em meio à sua criação.

7. Não basta dizer, como Calvino, que este mal se refere aos males dos juízos e punições que Deus envia aos homens.

8. Há duas palavras para o verbo criar: criar e fundar. O primeiro significa criar do nada, trazer à existência. Refere-se ao ato criativo de Deus (Rm.4:17; Hb.11:3; 2Pe.3:5). O verbo fundar refere-se ao ato formativo (Sl.89:11; Sl.102:25; Sl.104:5; Sl.119:90).

9. A palavra hebraica empregada em Isaías 45:7, onde diz que “Deus cria o mal” é “bara” (#01254, Strongs) e se refere ao ato criativo de Deus. É a mesma palavra usada em Gênesis 1:1 e 27. Também encontrada em diversas passagens: (Gn.2:3; Gn.5:2; Gn.6:7; Dt.4:32; Sl.89:12(13); Sl.89:47(48); Sl.104:30; Sl.102:18(19); Sl.148:5; Is.4:5; Is.40:26; Is.41:20; Is.45:8; Is.45:12; Is.48:7; Ml.2:10).

10. Deus criou a luz e a paz (Is.45:7), mas não havia necessidade que Deus criasse a luz ou a paz, pois “Deus é luz” (1Jo.1:5), e o “fruto do Espírito é… paz” (Gl.5:22). Portanto, assim como Ele criou a luz e a paz, criou também o mal: “Eu, o SENHOR, faço todas estas coisas.” (Is.45:7).

11. Contudo, dizendo assim,devemos acrescentar que em nenhum sentido isto implica em que Deus é o autor do mal.

12. O ato criativo e o ato formativo de Deus são declarados nas Escrituras: “Louvem o nome do SENHOR, pois mandou ele, e foram criados. E os estabeleceu (fundou) para todo o sempre; fixou-lhes uma ordem que não passará”. (Sl.148:5,6). “Porque assim diz o SENHOR, que criou os céus, o Deus que formou a terra, que a fez e a estabeleceu; que não a criou para ser um caos, mas para ser habitada: Eu sou o SENHOR, e não há outro”. (Is.45:18).

13. Quem criou o Diabo? A Bíblia responde: “Eis que eu criei o ferreiro, que assopra as brasas no fogo e que produz a arma para o seu devido fim; também criei o assolador, para destruir”. (Is.54:16). “Pelo seu Espírito ornou os céus; a sua mão formou a serpente enroscadiça”. (Jó 26:13). Seu poder o criou e seu poder o destruirá: “Naquele dia, o SENHOR castigará com a sua dura espada, grande e forte, o dragão, serpente veloz, e o dragão, serpente sinuosa, e matará o monstro que está no mar.” (Is.27:1).

VI. DEUS É SOBERANO NO USO DO SEU PODER

1. Seu poder é exercido conforme Ele quer, quando Ele quer e onde Ele quer.

1.1. Seu poder foi usado contra Faraó (Ex.14:13,14; Ex.14:30,31).

1.2. Contra os amalequitas (Ex.17:14-16).

1.3. Contra Jericó (Js.6:2,16).

1.4. Contra o gigante Golias (1Sm.17:46,47).

1.5. Deus livrou Daniel da boca do leão (Dn.6:22).

1.6. Deus livrou seus servos da fornalha de fogo ardente (Dn.3:26).

2. Nem todos foram libertos da aflição (Hb.11:36,37)

1.1. Pedro foi liberto da prisão (At.5:18,19), mas Estevão foi apedrejado (At.7:59,60).

1.2. Somente a Metusalém Deus capacitou a viver 979 anos (Gn.5:25,26).

1.3. Somente a Sansão Deus deu força física (Jz.14:6; Dt.8:18).

VII. DEUS É SOBERANO NO USO DE SUA MISERICÓRDIA

1. A misericórdia não é um direito ao qual o homem faz juz. Misericórdia é o atributo de Deus, pelo qual Ele tem dó e compaixão dos miseráveis e os alivia. Mas, sob a justiça de Deus, ninguém é miserável que não mereça estar nessa situação. O objeto da misericórdia, portanto, são os miseráveis, e a miséria é o resultado do pecado. Então os miseráveis merecem o castigo, não a misericórdia. Falar sobre misericórdia merecida é uma contradição!

2. Jesus exerceu misericórdia para o paralítico apenas (Jo.5:1-9). Ele não pediu a Jesus para ser curado. Jesus não curou a todos.

VIII. DEUS É SOBERANO NO USO DE SUA GRAÇA

1. Deus revelou sua graça para o desonesto Jacó (Rm.9:11-13). E Esaú?

2. Deus revelou sua verdade aos humildes (Mt.11:25). Por que não aos sábios?

3. Deus revelou seu plano aos pastores (Lc.2:8-15). Por que não ao Sinédrio?

O esboço deste sermão foi por mim elaborado e pregado na Igreja Batista da Esperança, em Cruzeiro, interior de São Paulo. Foram 12 sermões preparados e pregados, tendo como base o livro Deus é Soberano, de A. W. Pink da Editora Fiel. Apenas os títulos de cada sermão seguem à risca os títulos apresentados no livro, entretanto alguns sermões podem conter mais de um capítulo do livro. As proposições e as divisões do sermão foram acrescentadas por minha conta. O conteúdo das argumentações foram extraídas do livro de Pink, com acréscimos de argumentos teológicos de minha própria autoria, assim como muitas outras referências bíblicas, a fim de melhor adaptar o conteúdo do livro à forma de sermão.

Autor: Pastor Luiz Antonio Ferraz
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br


voltar | topo |
copyright © 2010 – Palavra Prudente – www.palavraprudente.com.br
Designer Uiliam Cruz
Open Bible on a wood floor with the gospel according to John.

DEUS é Soberano na Salvação

DEUS É SOBERANO NA SALVAÇÃO

Sermão 4

Data: 30/09/2001

Texto: Romanos 11:33-36

“Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque, quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém”.

INTRODUÇÃO

1. A Salvação pertence ao Senhor:

Jonas 2:9 – “Mas eu te oferecerei sacrifício com a voz do agradecimento; o que votei pagarei. Do SENHOR vem a salvação”.

2. Deus salva do início ao fim:

Filipenses 1:6 – “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo.”

I. DEUS É SOBERANO NA SALVAÇÃO DOS PECADORES DE CORAÇÃO DURO

1. Mas o Senhor não salva a todos. Por que?

2. É por que são por demais pecadores e depravados? Não!

1 Timóteo 1:15 – “Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.

3. Se Deus salvou o principal dos pecadores, ninguém é excluído por ser demais depravado. Então por que Deus não salva a todos?

4. Seria por que alguns têm o coração tão endurecido que não se deixam vencer? Não!

5. Deus tem pode para mudar um coração endurecido:

Ezequiel 11:19 – “E lhes darei um só coração, e um espírito novo porei dentro deles; e tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne”.

6. Será que alguns são tão atrevidos, que Deus não os pode atrair para si?

Provérbios 21:1 – “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o seu querer.

1 Reis 18:37 – “Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo conheça que tu és o SENHOR Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração.”

Salmos 33:13-15 – “O SENHOR olha desde os céus e está vendo a todos os filhos dos homens. Do lugar da sua habitação contempla todos os moradores da terra. Ele é que forma o coração de todos eles, que contempla todas as suas obras.” (Veja Salmos 86:11).

Ezequiel 36:26,27 – “E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.”

Deuteronômio 30:6 – “E o SENHOR teu Deus circuncidará o teu coração, e o coração de tua descendência, para amares ao SENHOR teu Deus com todo o coração, e com toda a tua alma, para que vivas.”

II. DEUS É SOBERANO NA MINHA PRÓPRIA SALVAÇÃO

Considere agora sua própria experiência.

1. Houve tempo em que você odiava a Cristo:

Lucas 19:14 – “Mas os seus concidadãos odiavam-no, e mandaram após ele embaixadores, dizendo: Não queremos que este reine sobre nós.”

2. Houve tempo em que você não desejava ir a Cristo:

João 5:40 – “E não quereis vir a mim para terdes vida.”

3. Houve tempo em que você rejeitava a Cristo:

Jó 21:14,15 – “E, todavia, dizem a Deus: Retira-te de nós; porque não desejamos ter conhecimento dos teus caminhos. Quem é o Todo-Poderoso, paraque nós o sirvamos? E que nos aproveitará que lhe façamos orações?

4. Mas agora você ama a Cristo! Por que?

1 Coríntios 15:10 – “Mas pela graça de Deus sou o que sou…”

5. Se Deus teve poder para subjugar a sua vontade e rebeldia e ganhar o seu coração (sem interferir na sua responsabilidade moral), então não poderia fazer o mesmo para com outras pessoas rebeldes?

6. É claro que sim!!!

7. Então por que você diz que Deus é incapaz de salvar os pecadores que não desejam receber a Cristo?

8. Talvez você argumente que um dia se dispôs a receber a Cristo, mas foi o Senhor quem lhe deu essa disposição:

Salmos 110:3 – “O teu povo será mui voluntário no dia do teu poder…”

Filipenses 2:13 – Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.

III. DEUS É SOBERANO NA SALVAÇÃO DOS INCAPAZES

1. Por que não são salvos todos o que ouvem o evangelho?

2. Você creu! Seria porque você é mais capaz ou mais inteligente?

3. Os salvos não são mais capazes:

1 Coríntios 4:7 – “Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido?”

4. Os salvos tem capacidade para entender, mas esta capacidade é devido a eleição:

1 João 5:20 – “E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.”

IV. DEUS É SOBERANO NA SALVAÇÃO DOS INCRÉDULOS

1. Por que alguns não crêem? Não querem ou não podem crer?

2. Porque não querem:

João 5:40 – “E não quereis vir a mim para terdes vida.”

3. Porque não podem:

2 Tessalonicenses 3:2 – “…porque a fé não é de todos.”

4. Quem podem crer?

5. Os eleitos de Deus:

Tito 1:1 – “a fé dos eleitos de Deus”.

6. Crêem porque foram eleitos (não são eleitos porque crêem!):

Atos 13:48 – “…e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna.”

CONCLUSÃO

Esta doutrina te deixa indignado e te faz murmurar?

1. Deus é Soberano para amar a quem Ele quer:

Mateus 20:15 – “Ou não me é lícito fazer o que quiser do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom?”

2. Deus é Soberano para condenar os pecadores:

Provérbios 16:4 – “O SENHOR fez todas as coisas para atender aos seus próprios desígnios, até o ímpio para o dia do mal.”

3. Você acha que Deus é injusto?

Romanos 9: 14-16 – Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma. Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.”

4. Você ainda murmura contra Deus?

Romanos 9:20,21 – “Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?”

Isaias 45:9,10 – “Ai daquele que contende com o seu Criador! o caco entre outros cacos de barro! Porventura dirá o barro ao que o formou: Que fazes? ou a tua obra: Não tens mãos? Ai daquele que diz ao pai: Que é o que geras? E à mulher: Que dás tu à luz?”

O esboço deste sermão foi por mim elaborado e pregado na Igreja Batista da Esperança, em Cruzeiro, interior de São Paulo. Foram 12 sermões preparados e pregados, tendo como base o livro Deus é Soberano, de A. W. Pink da Editora Fiel. Apenas os títulos de cada sermão seguem à risca os títulos apresentados no livro, entretanto alguns sermões podem conter mais de um capítulo do livro. As proposições e as divisões do sermão foram acrescentadas por minha conta. O conteúdo das argumentações foram extraídas do livro de Pink, com acréscimos de argumentos teológicos de minha própria autoria, assim como muitas outras referências bíblicas, a fim de melhor adaptar o conteúdo do livro à forma de sermão.Autor: Pastor Luiz Antonio Ferraz
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

O Valor da Doutrina da Soberania de Deus


JESUS O SOBERANO SOBRE TUDO E SOBRE TODOS

voltar | topo |copy

O VALOR DA DOUTRINA DA SOBERANIA DE DEUS

Sermão 11

Pregador: Pr. Luiz Antonio Ferraz

Local: Igreja Batista da Esperança

Data: 02/12/2001

Texto: 2 Timóteo 3:16,17

“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.”

INTRODUÇÃO

1. “Toda a Escritura é inspirada…”

2. “Toda a Escritura é util para o ensino…”

3. “Doutrina” significa “ensino”.

4. É através da doutrina que a realidades de Deus, de Cristo, do Espirito Santo, da salvação, da graça e da glória nos são reveladas.

5. É pela doutrina que os crentes são alimentados e edificados.

6. Atualmente a doutrina está sendo depreciada. Dizem que ela não é “prática”.

7. Mas a doutrina é a própria base da vida prática.

8. Há uma inseparável conexão entre a crença e a prática:

Provérbios 23:7 – “Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele…”

9. A relação entre verdade [doutrina] e prática é de causa e efeito:

João 8:32 – “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

10. Toda Escritura útil primeiro para o “ensino”. Todas as epístolas seguem essa ordem: doutrina, depois, exortação e admoestação.

11. A substituição da exposição doutrinária pela chamada “pregação prática”, é a causa fundamental de muitas e graves enfermidades que afligem a igreja.

12. A ignorância doutrinária tem levado muitos crentes à fraqueza espiritual e ao naufrágio da fé.

13. Estamos vivendo dias que os crentes não gostam de doutrina:

2 Timóteo 4:3 – “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências.”

14. A doutrina da Soberania de Deus, portanto, não é um mero dogma, desprovido de valor prático. É uma doutrina que forçosamente produzirá poderoso efeito sobre o caráter cristão e sobre a vida diária.

15. A doutrina da Soberania de Deus é fundamental na teologia cristã, cedendo lugar somente à doutrina da inspiração.

16. Ela é o centro de gravidade do sistema da verdade cristã.

17. Ela é o sol ao redor do qual se agrupam as esferas menores.

18. Ela é o fio no qual as demais doutrinas são enfileiradas como um colar de pérolas, a mantê-las no devido lugar e a dar-lhes unidade.

19. Ela é o prumo pelo qual cada credo precisa ser testado.

20. Ela é a balança na qual cada dogma humano deve ser pesado.

21. Ela é a principal âncora de nossa alma.

22. Ela é um tônico divino a refrigerar-nos o espirito.

23. Ela cria gratidão na prosperidade e paciência na adversidade!

24. Oferece consolação no presente e senso de segurança quanto ao futuro.

25. Atribui a Deus – Pai, Filho e Espirito Santo – a glória que lhe é devida, colocando a criatura no correto lugar diante dele – no pó!

QUAL É O VALOR DA DOUTRINA DA SOBERANIA DE DEUS?

I. AUMENTA NOSSA VENERAÇÃO PELO CARÁTER DE DEUS

1. Oferece um exaltado conceito das perfeições de Deus.

2. Exibe a inescrutabilidade da sabedoria de Deus.

3. Demonstra a irreversibilidade da vontade divina.

4. Até o pecado glorifica a Deus (Sl.76:10).

5. Exalta a graça divina. A graça é livre! A graça reina! A graça e é soberana.

II. É O ALICERCE SÓLIDO DA VERDADEIRA RELIGIÃO

1. Cada oração seria presunção carnal se não oferecida “segundo a vontade de Deus”.

2. Cada culto seria “obra morta”.

3. A religião experimental consiste da percepção do cumprimento da vontade de Deus. Fomos predestinados a ser conformes a imagem do Filho de Deus, cuja comida consiste em praticar a vontade de Deus.

III. REPUDIA A HERESIA DA SALVAÇÃO PELAS OBRAS

1. A salvação pelas obras é um caminho que leva à morte (Pv.14:12).

2. é errado dizer que Deus está disposto a fazer a parte dele desde que façamos a nossa. Declarar que Deus só ajuda àqueles que se ajudam a si mesmos é um erro. Deus ajuda aqueles que são incapazes de se ajudarem a si mesmos.

3. Dizer que a salvação depende da própria vontade é expressar de outra forma o dogma da salvação pelo esforço humano. Este dogma avilta Deus e zomba dele!

4. Alguém diria que esta doutrina levaria o pecador ao desespero. É exatamente isto que ele precisa para humilhar-se diante de Deus e buscar socorro somente naquele que pode salvá-lo!

IV. LEVA A CRIATURA A HUMILHAR-SE PROFUNDAMENTE

1. As realizações do homem, seu desenvolvimento e progresso, sua grandeza e auto-suficiência, são o santuário onde o mundo presta culto hoje em dia.

2. Mas a doutrina da Soberania de Deus remove todos os alicerces da jactância humana e implanta espirito de humildade.

3. Declara que a salvação vem do Senhor, na sua origem, na sua operação e na sua consumação.

4. Declara que o Senhor tem que aplicar, e não somente suprir, que tem que completar, e não somente iniciar a obra da salvação, que não somente precisa restaurar-nos, mas também manter-nos e sustentar-nos até o fim: “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo.” (Fp.1:6).

5. Declara que Deus é a fonte de todo bem:

Salmos 87:7 – “…todas as minhas fontes estão em ti.”

V. CONFERE SENSO DE SEGURANÇA ABSOLUTA

1. O poder infinito de Deus nos dá segurança:

Hebreus 13:6 – “…não temerei o que me possa fazer o homem.”

Salmo 56:3 – “Em qualquer tempo em que eu temer, confiarei em ti.”

Deuteronômio 33:26,27 – “Não há outro, ó Jesurum, semelhante a Deus, que cavalga sobre os céus para a tua ajuda, e com a sua majestade sobre as mais altas nuvens. O Deus eterno é a tua habitação, e por baixo estão os braços eternos; e ele lançará o inimigo de diante de ti, e dirá: Destrói-o.”

2. Estou seguro nas mãos do Pai e de Cristo (Jo.10:28,29).

3. Meu depósito está garantido até o dia final (2Tm.1:12).

VI. OFERECE CONSOLAÇÃO NA TRISTEZA

1. Porque nenhum pardal cai se não for da vontade de Deus (Mt.10:29).

2. Os fios de nossos cabelos estão todos contados (Mt.10:30).

3. Nossos dias estão contados (Jó 7:1; 14:5; 23:14).

VII. PRODUZ ESPIRITO DE RESIGNAÇÃO

1. O exemplo de Arão: “…porém Arão calou-se.” (Lv.10:3).

2. O exemplo de Davi: “…faça de mim como parecer bem aos seus olhos.” (2Sm.15:26).

VIII. ESTIMULA AO CÂNTICO DE LOUVOR

1. Se minha mente não consegue entender o amor de Deus, que excede todo entendimento (Ef.3:19), e a razão porque me escolheu, meu coração pode exprimir sua gratidão, em louvor e adoração.

2. Posse me alegrar sempre no Senhor (Fp.4:4). Não diz o texto alegrai-vos no “Salvador”, mas no “Senhor”.

IX. GARANTE O TRIUNFO FINAL DO BEM SOBRE O MAL

1. As nações serão humilhadas (Is.34:1,2).

2. Todo ser altivo será humilhado (Is.2:11).

X. OFERECE LUGAR DE DESCANSO PARA O CORAÇÃO

1. A glória de Deus não consiste somente no fato dele ser o Altíssimo.

2. A glória de Deus está no fato dele descer humilde, em amor, para a obra da cruz. A glória está na cruz! (Gl.6:14).

3. Pela cruz aquele que já era Senhor de nosso destino, tornou-se o Senhor de nossos corações! (2Co.5:14).

CONCLUSÃO

1. Não é terror mas adoração o dobrar-se perante o Altíssimo:

“Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças.” (Ap.5:12)

2. Deus é Soberano! Aleluia!

“Eis que arrebata a presa; quem lha fará restituir? Quem lhe dirá: Que é o que fazes?” (Jó 9:12).

O esboço deste sermão foi por mim elaborado e pregado na Igreja Batista da Esperança, em Cruzeiro, interior de São Paulo. Foram 12 sermões preparados e pregados, tendo como base o livro Deus é Soberano, de A. W. Pink da Editora Fiel. Apenas os títulos de cada sermão seguem à risca os títulos apresentados no livro, entretanto alguns sermões podem conter mais de um capítulo do livro. As proposições e as divisões do sermão foram acrescentadas por minha conta. O conteúdo das argumentações foram extraídas do livro de Pink, com acréscimos de argumentos teológicos de minha própria autoria, assim como muitas outras referências bíblicas, a fim de melhor adaptar o conteúdo do livro à forma de sermão.Autor: Pastor Luiz Antonio Ferraz
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br



voltar | topo |copyright © 2010 – Palavra Prudente – www.palavraprudente.com.br
Designer Uiliam Cruz

right © 2010 – Palavra Prudente – www.palavraprudente.com.br
Designer Uiliam Cruz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *