ESTUDO SOBRE O TABERNACULO DE MOISES

ESTUDOS BÍBLICOS

O TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADO


Estudo sobre o Tabernáculo de Moisés e o seu significado. Suas medidas, materiais usados, cobertas e utensílios sagrados; o Santo dos Santos, o Lugar Santo e o Átrio Exterior; óleo da santa unção; incenso sagrado (estoraque, ônica, gálbano e olíbano). Os israelitas levaram um ano para construir o Tabernáculo.

O tabernáculo de Moisés e seu significado

     Temas do seu interesse  Óleo da santa Unção  Incenso Sagrado  Átrio Exterior  Utensílios do A.Exterior  Utensílios do Santuário  Cobertas  Tempo de construção     Levitas     Menorá     O templo de Salomão     A arca da Aliança     Óleos e essências   


Comentário inicial

Antes de tudo, eu gostaria de deixar claro que este é um dos temas mais difíceis e mais controversos, até mesmo entre os teólogos, pois muitos materiais utilizados no Tabernáculo (como tecidos, tinturas, peles e pêlos de animais) têm um significado bastante incerto na língua hebraica. A quantidade exagerada de versões bíblicas que temos hoje em dia com a desculpa de purificação do texto, ao invés de esclarecer acabam trazendo mais dúvidas. Por isso, certas perguntas deixam de ter importância para nós como Cristãos. O que importa é o significado espiritual do Tabernáculo para nós hoje, ou seja, como podemos ser o verdadeiro santuário para o Espírito de Deus.

Tabernáculo de Moisés


Notas:
•A versão bíblica usada aqui é a ARA.
• Neste texto, nós também vamos usar a ‘Concordância Lexicon Strong’. A Concordância de Strong é uma concordância da Bíblia King James (KJV), criada pelo teólogo inglês Dr. James Strong (1822-1894), junto com uma equipe de teólogos, e publicada pela primeira vez em 1890. Trata-se de uma referência cruzada entre cada palavra na KJV o no texto original em Hebraico ou Grego. A cada palavra no idioma original foi dado um número de entrada para a concordância bíblica da KJV. Léxico significa um dicionário de línguas clássicas antigas. Para interpretar corretamente a Concordância Lexicon Strong é preciso levar em conta o contexto cultural da época, pois os números de Strong não consideram figuras de linguagem, metáforas, expressões idiomáticas, frases comuns, referências culturais, referências a eventos históricos ou significados alternativos utilizados pelos escritores daquele período de tempo para expressar seus pensamentos em sua própria língua (fonte: wikipedia.org).
• Também será usado o texto hebraico concordante interlinear (CHES – Concordant Hebrew English Sublinear), baseado no vocabulário da Versão Concordante do Antigo Testamento (CVOT – Concordant Version of the Old Testament), o hebraico transliterado.
• A medida de comprimento usada na época era o côvado, que corresponde à distância do cotovelo à ponta do dedo médio da mão de um homem, variando entre 44,4 a 45 cm, ou ainda, 51,8 cm (em Ezequiel 43: 13, pois soma um côvado mais quatro dedos), também chamado côvado sacro, côvado primitivo ou côvado mosaico. Neste texto sobre o Tabernáculo, usarei a medida de 50 cm para facilitar o entendimento. Um versículo que corrobora esta hipótese é 2 Cr 3: 3, que diz que o côvado primitivo foi usado por Salomão na construção do templo, portanto, antes de Ezequiel ter nascido e, conseqüentemente, uma medida que já era conhecida dos israelitas, provavelmente da época da construção do Tabernáculo de Moisés.

O Tabernáculo

Em Êx 25: 8-9, o Senhor dá ordens a Moisés para construí-lo. O Tabernáculo (em Hebraico, mishkan, que significa ‘moradia’) ou ‘tenda da congregação’ era a tenda usada pelos israelitas como lugar de adoração enquanto viajavam pelo deserto. Na verdade, a tenda onde Moisés se encontrava inicialmente com o Senhor (‘a tenda da congregação’) foi armada fora do arraial (Êx 33: 7), pois o povo tinha pecado e o Senhor lhe disse que Ele não mais seguiria no meio deles. Então, Moisés armou a tenda fora do acampamento, e ali Deus falava com ele. Todo aquele que buscava ao Senhor saía à tenda da congregação, que estava fora do arraial (Êx 33: 7). Em Êx 29: 42-46, o Senhor disse a Moisés que seria no Tabernáculo (ou tenda da congregação) que Ele desceria para falar com ele e com Seu povo. O Tabernáculo era também chamado de ‘santuário’ (Êx 25: 8) e ‘tenda do Testemunho’ porque nele estava guardado o Testemunho (as tábuas da Lei): Êx 38: 21; Nm 1: 50; Nm 9: 15; Nm 17: 8. Mais tarde, o Tabernáculo passou a ser conhecido como ‘A Casa do Senhor’ (Dt 23: 18; Js 6: 24). Deus ordenou a Moisés que construísse o Tabernáculo para que o povo tivesse um lugar de referência para a adoração e passassem a sentir Sua segurança junto com eles por onde andassem (Êx 25: 8). A Tenda da Congregação era montada, carregada e cuidada pelos Levitas. No lugar mais interior ficava o recinto conhecido como o Santo dos Santos onde era colocada a arca e onde apenas o sumo sacerdote poderia entrar. Suas dimensões (o santuário propriamente dito, a tenda onde estava a arca da Aliança) eram basicamente cinco metros de largura, quinze de comprimento e cinco de altura (Ex 26: 15-30).

Materiais usados em sua construção e seu significado

O material que dava estrutura ao Tabernáculo era a madeira, mais exatamente, madeira de Acácia.
Em Êx 26: 16 a bíblia nos dá medida das tábuas. Levando-se em consideração o côvado de cinqüenta centímetros, cada tábua teria: dez côvados comprimento (que, na verdade é a altura, pois elas eram colocadas em pé, verticalmente – Êx 26: 15); então, cada tábua tinha cinco metros altura. De largura, elas eram de 1 ½ côvados, portanto, setenta e cinco centímetros.

Em Êx 26: 18; 20; 22 (ou Êx 36: 20-34), a bíblia fala sobre o número de tábuas para o sul, para o norte e para o oeste (‘o lado posterior do Tabernáculo’), pois o anterior, ou seja, a entrada era para o lado leste, para o lado do nascente do sol. Sendo vinte tábuas de cada lado (norte e sul), o comprimento do Tabernáculo seria de quinze metros; a altura seria a mesma das tábuas (cinco metros), e a largura (medida do oeste do Tabernáculo – seis tábuas mais duas para cada canto – Êx 26: 23; 25; oito tábuas ao todo no oeste do tabernáculo), de aproximadamente cinco metros. Assim: as paredes dos lados norte, sul e oeste do Tabernáculo eram feitos de tábuas de madeira de acácia, colocadas verticalmente sobre bases de prata (duas para cada madeira – Êx 26: 21. Cada base de prata tinha o peso de 1 talento, i.e., 35 kg – Êx 38: 27) e encaixadas entre si, e quatro travessas da mesma madeira, que passavam por argolas nas tábuas. A 5ª travessa (a do meio) passava por dentro das tábuas ao invés de pelas argolas (Êx 26: 28). As tábuas e as cinco travessas de cada lado e para o lado posterior (Êx 26: 26-29) eram cobertas de ouro, e as argolas eram de ouro (Êx 26: 29). O peso das bases de prata era suficiente para manter a firmeza da estrutura. A Nova Tradução de James Moffatt (Teólogo escocês – 1870–1944) traduz a frase “Dois encaixes, travados um com o outro” (Êx 26: 17 – ARA) como: “dois pinos presos à base”. A NVI escreve: “dois encaixes paralelos um ao outro”.

Entretanto, é interessante perceber que a palavra hebraica que para nós foi traduzida como tábuas é qerãshïm (‘um cone oco’ – CVOT; Strong #7175 – qeresh, no singular; de uma raiz primitiva que significa: dividir, ou uma laje ou prancha), o que significa que as tábuas não eram pranchas sólidas ao redor de todo o Tabernáculo, mas pilares colocados sobre as duas bases de prata para cada um deles e reunidos por barras transversais (‘travessas’, na nossa tradução) unindo toda a estrutura, e dispostos de uma maneira eqüidistante (em Hebraico, shawlab’) uns dos outros. Isso teria as seguintes vantagens sobre as pranchas sólidas: 1) eram muito mais leves e, portanto, menos sujeitas a empenamento; 2) em lugar de esconder as cortinas bordadas (a 1ª coberta de que falaremos logo em seguida), formavam um painel favorecendo as cortinas de serem vistas do lado de dentro. Por que esconder as cortinas bordadas atrás de madeira sólida? As travessas corriam pelos dois lados e pelo fundo da armação, passando por argolas de ouro presas às tábuas. A travessa do meio corria horizontalmente em toda a extensão do lado do arcabouço, mas as outras quatro travessas eram menores. Elas formavam uma única armação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *